Polícia Tiktoker da Máxima, preso ganha 31 mil seguidores mostrando rotina na cadeia
Domingo | 25 de Fevereiro de 2024  |    (67) 3291-3668  |    67 99983-4015   
 (67) 3291-3668  |    67 99983-4015   
Expediente  |  Anuncie  |  Assine  |  Contato
Segunda-feira | 12 de Fevereiro de 2024    08h59

Polícia Tiktoker da Máxima, preso ganha 31 mil seguidores mostrando rotina na cadeia

Conta já atingiu 31 mil pessoas em 6 dias

Fonte: CGNews
Foto: reprodução video

Em seis dias, detento do Estabelecimento Penal “Jair Ferreira de Carvalho” - o Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande - ganhou cerca de 31 mil seguidores na rede social TikTok, mostrando a rotina dentro da cadeia. 

Os vídeos são antigos, mas passaram a ser publicados no sábado (3) e tem postagem que rendeu 316 mil curtidas.

Na primeira, o preso mostra como é a cadeia. "Olha a guarita, olha o muro, vem por cima, é só jogar os pombo aqui", descreve ao mostrar os outros detentos na quadra. Em próxima postagem, mostra alimentos dentro da cela que ganhou. "Olha o fogãozinho do jeito que é". Enquanto mostra a cela e outros pavilhões, ele afirma: "aqui que é a cadeia, aqui que nós fica enterrado vivo (sic)".

Entre os 31 mil seguidores, dezenas comentam as postagens: "Que vocês saiam logo daí, sei bem do sofrimento", comenta uma internauta. "Até o preso vira criador de conteúdo e eu não", responde outra.

Em outra publicação, ele mostra cachaça e afirma: "só criminoso, só bandido periculoso". Já nas próximas, posta selfies com os colegas de confinamento, mas, claro, tampando o rosto. Em uma das postagens feitas, o detento mostra o banho de sol, publicação que rendeu 316 mil curtidas. 

Apesar de serem vídeos antigos, até pela estrutura do prédio, que já foi pintado, eles só foram divulgados agora. A reportagem apurou que o autor dos vídeos ainda continua preso na Máxima.

Procurada, a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) reiterou que os vídeos veiculados são antigos e "não condizem com a estrutura atual do presídio". Ainda, segundo a pasta, o objetivo do sistema prisional de Mato Grosso do Sul é zerar as comunicações ilícitas nas unidades.

"A Agepen implantou tecnologias na revista de visitantes, com scanner corporal e scanner de bagagens. Está sendo providenciada a instalação de telamento (pois um dos principais problemas enfrentados são os arremessos externos de ilícitos, inclusive com o uso de drones). Também são realizadas inspeções regulares em celas pelos policiais penais, monitoração por parte do serviço de inteligência, inclusive integrado a outros órgãos da segurança pública", finaliza. 

www.diariodoestadoms.com.br
© Copyright 2013-2024.