Jornalistas do MS reivindicam vacinação para a categoria em manifestação nacional
Quarta-feira | 23 de Junho de 2021  |    (67) 3291-3668  |    67 99983-4015 | 67 99641-1903  
 (67) 3291-3668  |    67 99983-4015 | 67 99641-1903  
Expediente  |  Anuncie  |  Assine  |  Contato
Quinta-feira | 10 de Junho de 2021    07h50

Jornalistas do MS reivindicam vacinação para a categoria em manifestação nacional

Fonte: Theresa Hilcar, SES
Foto: Saul Schramm

Em campanha nacional pela vacinação dos profissionais de imprensa, o Sindjor MS (Sindicato dos jornalistas) foi recebido ontem pelo Secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende. Portando uma faixa com palavras de apelo pela imunização, alguns jornalistas chegaram cedo à porta da Secretaria, liderados pelo presidente, Walter Gonçalves Filho.
Representando também o Sindjorgran (Sindicato dos jornalistas da grande Dourados),Gonçalves entregou ofício ao secretário com a pesquisa, de abril deste ano, feita nas redações da capital e interior, que levantou a grave situação dos jornalistas com 200 infectados pela Covid-19 e oito que perderam a vida atuando na linha de frente.
Abordado por repórteres logo na chegada, Resende explicou que reconhece a importância da categoria que faz o trabalho importante, inclusive contra as notícias falsas que circulam em redes sociais. Mas ao abordar o PNI (Programa Nacional de Imunização), logo após a primeira reunião com o Sindjor MS, foi informado que não havia aprovação para inserir a categoria.
“Infelizmente não posso deliberar sozinho”, afirmou Resende, explicando que certamente os estados agiram à revelia do PNI.  No entanto, e diante dos argumentos do Sindjor MS, o secretário garantiu ao presidente do Sindicato que fará nova abordagem ao órgão federal que regulamenta a vacinação no País. Se o pedido for novamente negado, o Secretário disse que vai tentar pactuar com os secretários dos 78 municípios do Estado para que abram uma exceção.
Para que isto seja feito, os sindicatos terão que apresentar o número exato de jornalistas que precisam ser vacinados. Com profissionais acima de 60 anos e aqueles com alguma comorbidade já foram vacinados, a lista de 1300 profissionais que atuam no Estado pode diminuir e, por conseguinte, facilitar a aquisição de doses para imuniza-los.
O secretário destacou também que com a chegada de mais 51.500 doses de Astrazeneca, além das 34.420 da Pfizer que já estão nos postos de vacinação, profissionais de até 40 anos certamente conseguirão ser imunizados nos próximos dias. “Vamos acelerar a vacinação”, declarou. 
 

www.diariodoestadoms.com.br
© Copyright 2013-2021.