Ampla Visão
Sexta-feira | 14 de Junho de 2024  |    (67) 3291-3668  |    67 99983-4015   
 (67) 3291-3668  |    67 99983-4015   
Expediente  |  Anuncie  |  Assine  |  Contato
mais colunas de Ampla Visão
Terça-feira | 17 de Outubro de 2023
Ampla Visão

CESAR MAIA: O ex-prefeito do Rio de Janeiro marcou pelo olhar dubitável em termos de administração. Engenheiro de formação e militante contra o regime militar de 1964 foi exilado no Chile onde nasceram os filhos gêmeos Rodrigo e Daniela. Há tempos Cesar publicou manual de dicas para os candidatos. Vale conferir.

DICAS-1: Nunca mude de personagem. Há uma diferença entre buscar recursos para fazer política e buscar a política para fazer recursos. Atire sempre na pessoa jurídica do seu adversário, nunca na pessoa física. Fique bravo por fora, mas tranquilo por dentro. Sempre haverá um bêbado numa reunião – dê a palavra a ele.

DICAS-2:  Só polemize se souber o que vai dizer na próxima jogada. Seu adversário sabe tudo de você. Você só precisa saber uma coisa dele. Os âncoras da TV têm mais credibilidade que você. Nunca os desminta. Escolha a biografia de no mínimo dois políticos e as conheça bem. Os números quebrados impressionam mais.

DICAS-3:  O voto se pede, mas não se suplica. Em plenário ou no debate, responda concordando e prossiga... Discordando. Não é você que é bonito, mas o poder que você tem. Dura apenas o seu mandato. A retórica pomposa ridiculariza. Nunca desminta a imprensa; faça uma nova afirmação. Cada aperto de mão é uma pesquisa qualitativa.

DICA-4:  A eleição de hoje não é a última da história. Nunca minta, fale o necessário. Prometa só o possível. Não fale mal do adversário na frente da sua família. Ela não entenderá quando ele for seu parceiro. Nunca tranque as portas. No máximo, as feche. Ideologia não é tudo na política. Política sem ideologia é nada.

DICAS-5: As pesquisas tratam do que você deve fazer e não do que você já fez. Enxugue o suor antes de oferecer a mão para o aperto. Seu publicitário sabe muito menos que você sobre política. Cuidado quando as notícias forem em série. Saiba quatro piadas curtas sobre política e as use. Aprenda a sorrir.

CONFIRA: “O douradense ainda não está nem aí, literalmente, para as eleições municipais de 2024 – ainda há disputa ‘surda’, porém manifesta em grupos sociais, em torno do resultado das urnas da última eleição presidencial, pode isso? – porém, o que se vislumbra é que do resultado eleitoral em Dourados vai depender o impulsionamento das possíveis candidaturas ao Senado nas eleições de 2025”. (Site: Douranews)

ELEIÇÕES 2024: O cenário é de algumas dúvidas e de movimentação nos partidos políticos que já estão definindo nomes e sinalizando alianças. Com mudança nas regras, (número menor de candidatos para o legislativo municipal) e alterações na disputa pelas chamadas ‘sobras’, o pleito também estreará o formato de federações partidárias.

DETALHES: Vale lembrar que em 2024 deverão ser conservadas aquelas federações partidárias validas desde o pleito de 2022, devendo elas lançar candidaturas conjuntas ao Executivo e Legislativo.  São três as federações devidamente registradas: PSDB e Cidadania; PSOL e Rede, e a Brasil da Esperança integrada por PT, PCdoB e o Partido Verde.

MUDANÇAS? Acredita-se haver aumento de expectativa quanto ao novo perfil do político como gestor. Levará vantagem o candidato que incorporar competências técnicas, intimidade com políticas públicas e bom relacionamento com diferentes setores da sociedade. Crescerá sim a relevância dos atributos pessoais, diante do temor do eleitor em arriscar.

SIM OU NÃO?  Com base no censo vários municípios aumentarão o número de vereadores. Casos de Chapadão do Sul (de 9 para 11) e de Naviraí (de 13 para 15).  O exemplo 10 vem de Três Lagoas que reduziu de 17 para 15 vereadores, além de baixar de 6% para 4% o repasse do duodécimo ao Legislativo. O dinheiro dos 2% beneficiará o povo ao ser investido na coleta do lixo. Prefeito e vereadores pensando na população. 

MEMÓRIA: Na criação do MS a briga entre as lideranças (PSD-UDN) foi desastrosa. Enquanto o festival do ‘tira e põe’ ocorria, os cuiabanos se deram bem com ajuda financeira do Governo Federal mudando o perfil sócio econômico do MT. E mais, nós perdemos muito tempo com governos pífios e deu no que deu. Pior: 46 anos depois ainda se discute a troca do nome do estado. Por favor....
OPINIÃO: Sobre a reforma tributária o ex-deputado Paulo Duarte (foto), técnico na matéria, lembra que o texto prejudica os estados produtores e de baixo consumo. Diz que os congressistas destes estados precisam se unir para alterar certos pontos do texto baseado na lei vigente na Alemanha, ‘incompatível com a nossa realidade’ lembra. 

ALERTA: Já preocupa o desempenho do pré-candidato Beto Pereira (PSDB) nas pesquisas para a prefeitura da capital. O ex-governador Reinaldo Azambuja trata do caso com habilidade para não queimar seu pupilo. Tudo ao seu tempo, mas Beto deve repensar as suas relações (seletivas) com as pessoas ‘invisíveis’. O filme de 2012 pode se repetir. ‘Why not’?

FRASES DE ABRAHAM LINCOLN:
Ninguém é suficientemente competente para governar outra pessoa sem o seu consentimento.
Só tem o direito de criticar aquele que pretende ajudar. 

www.diariodoestadoms.com.br
© Copyright 2013-2024.