Notas
Domingo | 25 de Fevereiro de 2024  |    (67) 3291-3668  |    67 99983-4015   
 (67) 3291-3668  |    67 99983-4015   
Expediente  |  Anuncie  |  Assine  |  Contato
mais colunas de Ampla Visão
Terça-feira | 05 de Setembro de 2023
Notas

TACADA! No evento da Sudeco no Mercadão da capital – olhando para o palanque que reuniu gente de vários partidos, entre eles, PSDB, PT, MDB, União Brasil, PP, um observador disparou: “Esse Reinaldo é competente. Mandou o Puccinelli pra casa, colocou os demais adversários no mesmo balaio e continua dando as cartas”. 
SOB CONTROLE? Pelos discursos de algumas lideranças parece que o PSDB tende a repetir o feito do velho MDB que dominou o estado por bom tempo. Esse entrosamento entre tucanos e petistas pode desaguar numa espécie de ‘união estável’ nestas eleições da capital. Afinal, no 2º turno os políticos tiram as máscaras e fantasias. Vale tudo!
CONCHAVOS: Já se discute apoios para o 2º mandato do governador Riedel (PSDB). Impressionante! É como se fosse um consórcio ou algo parecido. O PT quer eleger Vander Loubet senador e está disposto a fazer qualquer negócio. O MDB por sua vez – se contentaria com uma boquinha menor. Como diz Galvão Bueno: pode isso Arnaldo?
IMPREVISTOS: Na política não se deve ir com muita sede ao pote. Fatos inesperados barraram políticos (desnecessário citar nomes) que eram vistos como favoritos. Projeto político é comparável a uma viagem onde tudo pode acontecer. Prudência, bom senso e boa dose de humildade (e quem tem?) são imprescindíveis em qualquer caminhada.
NADA MUDA! Enquanto os comerciantes brancos estão bem instalados lá dentro do Mercadão - os índios continuam lá fora com seus produtos em situação sob risco. Nem geladeira eles têm para conservar seus produtos. Convenhamos - uma situação desleal que os senhores e senhoras da política fingem não ver. Só blá blá blá...
VOLTA POR CIMA: O deputado Vander Loubet (PT) só tem a comemorar. Após noites de insônia lá atrás, foi absolvido (STF) da denúncia de corrupção na Petrobras. Reeleito, é líder da nossa bancada em Brasília. Pelo seu discurso no evento da Sudeco no Mercadão tem a varinha mágica para resolver nossos problemas. É o cara do Lula. 
PRATO CHEIO: Nas sessões da Assembleia Legislativa da semana o aporte de R$ 60 milhões do Governo à Cassems mereceu a atenção. Além de embates verbais ‘calientes’ entre os deputados a favor e contra, o plenário ficou lotado de apoiadores dos 2 lados. Mas nas próximas sessões o julgamento do ‘Marco Temporal’ será a bola da vez.
GERALDO X MARÇAL: Em recente encontro com Reinaldo Azambuja, o deputado federal Geraldo Resende pediu ‘aquela força’ ao ex-governador em favor de seu nome dentro do PSDB para a disputar a prefeitura douradense. Ao seu estilo, Reinaldo ouviu e ponderou: “Primeiro você precisa se mudar de Campo Grande para Dourados”.
PESADELO: A gestão de Laerte Tetila em Dourados ecoa até hoje e pesará em 2024. Lembrando: o ex-prefeito teve seus direitos políticos suspensos, indenizou o município por gastos irregulares, aquisição de veículos da cor vermelha, uso de placas com numeração de final 13 e adotar a palavra ‘Estrela’ nos programas habitacionais.
ALERTA: Os prefeitos dos municípios com menos de 30 mil habitantes chiando: o repasse do FPM de julho caiu 34% em um ano. Culpam os gastos na educação e saúde. Agora pedem aos deputados federais que aprovem a PEC  aumentando o valor do repasse do FPM de 23,5% para 25%. Como se diz: perto das eleições pedir é fácil.  
O DEBATE: Ele já começou sobre os locais onde serão construídos os novos presídios no MS.  Baita incoerência: Todos defendem que lugar de bandido é na cadeia - mas é claro - desde que ela não fique perto de sua casa.  É igual aos moradores pedindo mais pontos de ônibus, mas desde que não sejam instalados em frente de suas casas. POLÊMICA: A construção do presídio federal de segurança máxima atraiu a chamada bandidagem para Campo Grande? É relativa essa tese. É o preço a ser pago por vários fatores. Mirandópolis (SP) por exemplo tem duas penitenciárias distantes 5 kms uma da outra. A criminalidade não aumentou lá, mas a sensação de insegurança sim.
1-FOLCLORE: Prefeito de São Paulo (1993/96) Paulo Maluf mudou o local de uma feira livre. Revoltados, os moradores da região escolhida foram à justiça e impediram  a mudança através de decisão liminar da justiça. Maluf não titubeou:  baixou outro ato transferindo a feira livre para a rua onde o tal Juiz de Direito (prolator) morava.
2-FOLCLORE: Eleição indireta ao Governo paulista (1978). Maluf foi ao interior pedir votos. Em General Salgado jantou na casa do médico convencional cujo cachorro de nome Itaú estava doente. No dia a eleição Maluf recebeu o médico com um abraço perguntando: “como vai o Itaú? Sarou?”  Com sua memória ganhou o voto e a eleição de Laudo Natel por apenas 28 votos.
MALUF EM 2016: Haddad tem muita qualidade neste mar de lama: é honesto. Não tenho ressentimento de tê-lo apoiado. Alckmin eu conheço desde que ele tinha 20 anos. Magrinho, vereador de Pindamonhangaba vinha despachar comigo. É uma das reservas morais deste pais. Não repetindo a fala do ministro Barroso, mas né ‘Meu Deus, é isso que nos espera?’
VALEU A PENA? Maluf (92) foi presidente da Caixa Econômica Federal, Secretário de Transportes, governador de São Paulo, prefeito duas vezes de São Paulo, deputado federal por 4 mandatos e disputou o Planalto duas vezes. Mas sua honra foi para o lixo ao ser condenado e preso por corrupção. O que os amigos dele acham de tudo isso? EXEMPLO: A bronca da torcida do Flamengo, nesta semana, por ocasião da festa pelo ‘nat’ do jogador Gabigol, bem que deveria servir de inspiração aos eleitores para reagir à postura de muitos políticos. Esses, confiantes na passividade da população, cada vez mais pobre, continuam adotando as velhas práticas baseadas na famosa ‘Lei de Gerson’.
DIFERENÇAS: O STF é criticado mesmo julgando 90 mil processos por ano, contra 100 pela Suprema Corte Americana de 9 ministros, 4 indicados pelos Democratas, 4 pelos Republicanos e um independente. Lá a atuação da Corte é facilitada pela Constituição enxuta de 7 artigos e 27 emendas. Detalhe: ao contrário daqui os seus ministros são avessos aos holofotes.
MARCO TEMPORAL: A votação de 4 a 2 caminha para derrota da tese do marco temporal no STF. Pelas previsões ficaria pendente a questão da indenização que pode empacar o processo e não liquidar de vez a disputa. Em nosso estado o caso deve repercutir devido a numerosa população indígena e pelas terras disputadas por brancos e índios. Promete!
LEANDRO KARNAL: “O dinheiro e aquilo que torna a vida possível. É um erro ignorar o dinheiro, mas também é um erro considerá-lo como objetivo da vida. Viver é o objetivo da vida, e o dinheiro é a maneira, a alavanca, o instrumento para tornar isso viável. ”

www.diariodoestadoms.com.br
© Copyright 2013-2024.