Moto de suspeito pelo assassinato de Daniel está em nome de traficante
Domingo | 20 de Janeiro de 2019  |    (67) 3291-3668  
 (67) 3291-3668  
Expediente  |  Anuncie  |  Assine  |  Contato
Sexta-feira | 09 de Novembro de 2018    15h30

Moto de suspeito pelo assassinato de Daniel está em nome de traficante

Polícia Civil do Paraná apreendeu a motocicleta de Edison Brittes na manhã desta sexta-feira. De acordo com as autoridades, o veículo está registrado no nome de um traficante

Fonte: Lance
Foto: Reprodução

O caso da morte de Daniel está se destrinchando aos poucos. A moto que pertencia a Edison Brittes Júnior, suspeito do assassinato do jogador, foi apreendida pela Polícia Civil do Paraná na manhã desta sexta-feira. Porém, o veículo está registrado no nome de Celso Alexandre Pacheco de Quevedo, condenado por tráfico de drogas e que está preso na Penitenciária Estadual, em Piraquara, região metropolitana de Curitiba.

As autoridades já começaram a investigar a ligação entre o dono da motocicleta e Edison. O modelo CBR 1000, ano 2011, vale entre R$ 30 e R$ 40 mil reais. Ainda nesta sexta-feira, Amadeu Trevisan, delegado do caso, voltou a afirmar que não houve estupro por parte do jogador. De acordo com Trevisan, o suspeito pela tortura e assassinato de Daniel caiu em contradições durante seu depoimento.

- O que a gente observa é que a palavra do indiciado se desmantelou, se desmanchou, porque a cada momento que a polícia desconstrói uma fala ele monta um outra história. Essa já é a quarta história que ele monta - afirmou o delegado, completando em seguida:

- Tenho certeza que não houve estupro, que se essa mulher tivesse gritado mais pessoas teriam ouvido. Tenho certeza de que se essa mulher acordasse da embriaguez, com o Daniel, ela poderia ter pulado a janela. Ficou evidenciado nos autos que ela estava embriagada e que só o indiciado ouviu ela gritar socorro - finalizou.

Daniel foi encontrado morto no último dia 27 em uma plantação de pinos, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba. 

O jogador pertencia ao São Paulo e estava emprestado para o São Bento (SP). Daniel surgiu nas categorias de base do Cruzeiro. Antes de se tornar profissional, reforçou o Botafogo em 2013, no qual teve espaço na equipe principal e se destacou no ano seguinte. Em dezembro de 2014, chegou a conversar com o Palmeiras, mas foi reprovado nos exames médicos e acabou contratado pelo São Paulo.

www.diariodoestadoms.com.br
© Copyright 2013-2019.