Crise na fronteira entre Brasil e Venezuela envolve colapso econômico e queda de braço judicial; ent
ertertert
asdasdasd
Terça-feira | 21 de Agosto de 2018    09h17

Crise na fronteira entre Brasil e Venezuela envolve colapso econômico e queda de braço judicial; ent

Tumulto entre brasileiros e venezuelanos acirrou tensão no norte de Roraima desde o início do fluxo migratório. País vizinho vizinho vive piora no clima econômico e político.

Fonte: G1

O tumulto no município de Pacaraima, em Roraima, neste sábado (18), é mais um capítulo da crise migratória na fronteira de Brasil e Venezuela. Moradores do município incendiaram roupas e pertences de imigrantes um dia depois de um comerciante brasileiro ter sido assaltado e espancado na cidade. A Polícia Militar local suspeita que venezuelanos tenham cometido o crime, o que revoltou a população. 
A crise ainda pode se intensificar porque há expectativa de nova turbulência econômica na Venezuela. Na segunda-feira (18), entra em vigor uma nova política monetária no país, o que causou correria para abastecimento nos supermercados venezuelanos antes da medida começar a valer. Nessa nova política, o regime de Maduro vai lançar cédulas com cinco zeros a menos do que as anteriores. 
Maduro também anunciou novo salário mínimo, cujo valor será multiplicado por 34. O presidente venezuelano detalhou que o mínimo ficará "ancorado" ao valor do petro, a criptomoeda criada pelo governo socialista para obter liquidez.
As medidas, avaliam especialistas, não devem resolver o caos econômico do país e apenas ampliam as incertezas vividas pela Venezuela. No fim de julho, o Fundo Monetário Internacional (FMI) projetou inflação de 1.000.000% no país em 2018. Até o preço da gasolina, antes o mais barato do mundo, subiu.
Isso, portanto, deve aumentar o número de pedidos de refúgio por parte de venezuelanos. Somente de janeiro a junho deste ano, Roraima recebeu mais de 16 mil solicitações. 
Para piorar a situação na Venezuela, o governo de Nicolás Maduro passa por nova turbulência política desde 4 de agosto, quando drones explodiram durante discurso do presidente. Em resposta, o regime venezuelano prendeu um deputado opositor, acusado por Maduro de "tentativa de assassinato". A oposição nega e acusa o próprio governo Maduro de forjar um atentado. 

Como o problema da Venezuela reverberou em Roraima?
O colapso econômico levou o fluxo migratório da Venezuela ao Brasil a aumentar desde 2015. Nos primeiros seis meses deste ano, mais de 16 mil venezuelanos pediram refúgio em Roraima, segundo a Polícia Federal. O número já é 20% maior do que o registrado em todo o ano de 2017, quando foram recebidas pouco mais de 13,5 mil solicitações.
Com a piora da crise, a imigração se intensificou especialmente por terra. Assim, os venezuelanos têm de cruzar, muitas vezes a pé, a fronteira com o município de Pacaraima, norte de Roraima.
O fluxo provocou reações em Roraima e na cidade fronteriça com cerca de 10 mil habitantes. 

www.diariodoestadoms.com.br
© Copyright 2013-2018.