26,7 mil trabalhadores podem sacar o PIS/ Pasep até o dia 29
Terça-feira | 19 de Fevereiro de 2019  |    (67) 3291-3668  |    67 99983-4015 | 67 99996-1218  
 (67) 3291-3668  |    67 99983-4015 | 67 99996-1218  
Expediente  |  Anuncie  |  Assine  |  Contato
Sexta-feira | 22 de Junho de 2018    07h45

26,7 mil trabalhadores podem sacar o PIS/ Pasep até o dia 29

No Estado, 26.745 trabalhadores ainda não sacaram o Abono Salarial do PIS/Pasep ano-base 2016

Fonte: CG News
Foto: Ilustrativa

No Estado, 26.745 trabalhadores ainda não sacaram o Abono Salarial do PIS/Pasep ano-base 2016. O benefício pode chegar a um salário mínimo (R$ 954) e somado, o montante disponível é de R$ 19,1 milhões. O prazo para o saque, conforme o Ministério do Trabalho, termina no dia 29 deste mês.
Segundo divulgado pelo MT, Os recursos não sacados retornam ao FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador). O Abono Salarial ano-base 2016 começou a ser pago em 27 de julho do ano passado.
De acordo com o chefe da divisão do Abono Salarial do Ministério do Trabalho, Márcio Ubiratan Brito, a quantia que cada trabalhador tem para receber é proporcional ao número de meses trabalhados formalmente no ano-base e varia de R$ 80 a R$ 954.
“Quem trabalhou durante todo o ano recebe o valor cheio. Quem trabalhou por apenas 30 dias recebe o valor mínimo. Se a pessoa trabalhou um mês, recebe 1/12 do valor, se trabalhou dois meses, 2/12, e assim sucessivamente”, explica”.
Para ter direito ao Abono Salarial do PIS/Pasep é necessário ter trabalhado formalmente por pelo menos um mês em 2016 com remuneração média de até dois salários mínimos. Além disso, o trabalhador tinha de estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter tido seus dados informados corretamente pelo empregador na Rais (Relação Anual de Informações Sociais).

Serviço - Os empregados da iniciativa privada, vinculados ao PIS, sacam o dinheiro na Caixa. O banco disponibiliza uma página para que o trabalhador consulte se tem direito a receber o valor. Para isso, é preciso informar o número do PIS (geralmente registrado na carteira de trabalho) e digitar a senha. Quem não tem senha, pode cadastrar uma na página de consulta.
Já os funcionários públicos, a referência é o Banco do Brasil. O banco disponibiliza um aplicativo que precisa ser baixado e instalado para que o trabalhador consulte se tem direito e o valor do benefício. 

www.diariodoestadoms.com.br
© Copyright 2013-2019.