Estadual pode ter um "novo rumo" com julgamento do recurso do Novo no TJD
ertertert
asdasdasd
Terça-feira | 13 de Março de 2018    08h45

Estadual pode ter um "novo rumo" com julgamento do recurso do Novo no TJD

O lateral Paulinho do Costa Rica foi punido no Campeonato Estadual do ano passado, quando atuou pelo Operário.

Fonte: Esporte MS

O fato. O lateral Paulinho do Costa Rica foi punido no Campeonato Estadual do ano passado, quando atuou pelo Operário. Na segunda partida da semifinal contra o Corumbaense, ele foi expulso, e o Tribunal de Justiça Desportivo da FFMS aplicou a pena de quatro partidas. Em checagem feita nos dados do TJD não existe nenhuma reversão da pena ao atleta em 2017. Neste ano, o lateral aparece com contrato assinado pelo Cobra do Norte.
Ocorre que, o jogador então estava com punição para ser cumprida conforme o julgamento ocorrido no dia 4 de maio do ano passado. Com isso então ele tem a punição de três partidas a ser cumprido. Isso não aconteceu.
Em 2018, Paulinho disputou quatro jogos pelo Costa Rica, vencendo um, empatando outro e perdendo dois deles. Porém, já em 27 de fevereiro, o atleta teve a rescisão da ligação com a Cobra do Norte publicada no BID da CBF – até ano passado o registro válido era o feito na FFMS.
O primeiro jogo dele pela equipe foi a derrota por 3 a 2 para o União, no Morenão, em 27 de janeiro. Ele participou nos 90 minutos e inclusive levou cartão amarelo. A segunda partida foi a vitória por 2 a 1 sobre o Comercial, também no Morenão, em 31 de janeiro. Ele novamente jogou o duelo inteiro e levou outro cartão amarelo.
A terceira aparição de Paulinho com a camisa do Costa Rica foi no empate em 1 a 1 com o Novo, em 4 de fevereiro, no estádio Laertão, onde atuou os 90 minutos. Novamente em casa, Paulinho encarou o Comercial e perdeu por 1 a 0 em 14 de fevereiro. Nesse jogo, ele foi substituído por Maylson aos 23 minutos do segundo tempo.
O time do Novo tomou conhecimento da irregularidade na última semana e entrou com a representação contra o clube do norte e busca ganhar a vaga para as quartas-de-final. O elenco inclusive não foi completamente desfeito e treina com confiança de ganhar a vaga.
O erro da diretoria do Costa Rica, que não checou a situação do atleta é bem parecido com o caso do ex-volante do Operário, Eduardo Arroz. Um dos maiores absurdos do Tribunal de Justiça Desportivo do MS foi a absolvição, pois que conseguiu encontrar uma brecha de que o pedido teria feito fora do prazo. Hoje, a situação é bem diferente. O Novo entrou então dentro do prazo e agora é observar para ver o que vai acontecer.
A Federação de Futebol, mesmo tomando conhecimento dos fatos e da denúncia, preferiu manter a rodada deste final de semana e agora corre o risco de ter que remarcar as partidas ocorridas e com o retorno do Novo. (Esporte MS)

 

www.diariodoestadoms.com.br
© Copyright 2013-2018.