• Painel de Controle
Domingo, 22 de Abril de 2018
Expediente      Anuncie      Assine

Coxim - Domingo

20ºMIN32ºMAX

Coxim - Segunda

19ºMIN32ºMAX

Coxim - Terça

21ºMIN33ºMAX

Coxim - Quarta

19ºMIN33ºMAX

Filme Com Cenas Captadas Em Rio Verde, Vai Participar De Festivais Internacionais De Cinema
Cenas também foram captadas em mais 11 cidades do Pantanal

              16/08/2017    12h16

 

Foi lançado no dia 30 de junho o documentário “Pantanais do Pantanal” que é o 6º longa-metragem com assinatura do casal de sócios da Código Solar Produções, Marcelo de Paula (direção, fotografia e roteiro) e Carla Mendes (edição e produção). 

O evento aconteceu no Instituto Moreira Salles, Rua Marques de São Vicente, 476, Gávea – RJ), fechado para convidados, patrocinadores e profissionais da mídia.

O longa-metragem “Pantanais do Pantanal”, tem significativa importância na divulgação de Rio Verde de MT, como destino turístico.  A produção foi feita no percurso de mais de 10 mil quilômetros realizado em 11 subdivisões pantaneiras de 12 municípios que integram o Pantanal: Rio Verde, Porto Murtinho, Aquidauana, Sonora, Coxim, Miranda, Bodoquena e Corumbá (em Mato Grosso do Sul) e Cáceres, Poconé, Barão de Melgaço e Santo Antônio do Leverger (em Mato Grosso).

A Fábrica de Chapéus, também é importante tema do filme, a história do famoso Chapéu Karandá de Rio Verde.

O turismo tem muito que contribuir com a  região de Rio Verde, pois  divulga positivamente o município, e a fazenda Igrejinha, assim como o pantanal rioverdense, leva as belezas naturais do município às telas de cinemas mundiais.

A Fazenda Bahia Rica, no pantanal de Rio Verde também está com suas belas imagens no filme, fazendo que  o turismo, dê possibilidade de gerar renda, riqueza e oportunidades de melhoria de emprego para a região pantaneira.

O filme

O projeto foi feito pelo casal Marcelo de Paula (direção, fotografia e roteiro) e Carla Mendes (edição e produção). A filha do casal, Morgana, de oito anos, também participou das filmagens. Os três percorreram milhares de quilômetros a bordo de voadeiras, chalanas, balsa de carro e barco hotel.

Marcelo contou que até a chegada às telas, o trabalho consumiu “um ano de pesquisa para o roteiro”, antes do início das filmagens. Ao todo o projeto foi desenvolvido em três anos.

Numa expedição de dois meses por 11 (onze) sub-regiões do Pantanal, entre Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, a menina Morgana encarnou a personagem de Juma Marruá, da novela Pantanal, e fez história por onde passou: primeira criança a pisar na Estação Ecológica de Taiamã; ficou frente a frente com várias onças, jacarés, queixadas e demais animais da fauna da região. 

Andou pela primeira vez de bimotor, voadeira, veículos de safári e experimentou várias iguarias da culinária pantaneira, tais como caldo de piranha, sopa paraguaia, arroz carreteiro, saltenha, carne de jacaré, peixes e saboreou a erva do tereré.

A expedição ainda rodou nas empoeiradas Transpantaneira (MT); Estrada Parque Pantanal; Estrada Parque de Piraputanga (Aquidauana) e a MS 228, mais conhecida como Estrada do Corixão, em Corumbá. Sem contar as inúmeras vias de acesso às fazendas que apoiaram o projeto: Pouso Alegre Lodge; Jaguar Ecological Reserve; Haras Bafo da Onça da Araras Pantanal Eco Lodge (MT) e Fazenda Igrejinha; 23 de Março; Fazenda Pouso Alto – Pousada Mangabal; Passo do Lontra Parque Hotel; Fazenda São João; Fazenda Vitrine; Fazenda São José – Pousada Aguapé e Fazenda Baía Grande de Rio Verde (MS).

A Produção percorreu de voadeiras, chalana, balsa de carro e barco hotel Jaguar do Pantanal inúmeros rios que compõem a região do Pantanal: Paraguai, Miranda, Taquari, Negro, Aquidauana, Abobral, Jauru, Feioso, Piquiri, Correntes, 3 irmãos, Rio Verde, Salobra, Vermelho, Cuiabá e outros.

Imagens aéreas produzidas por voo de avião bimotor e drones e imagens subaquáticas compõem as belas cenas do filme. Foram registrados mais de 25 depoimentos para o filme com temas que abrangem o roteiro: cavalos pantaneiros, pesca, gado caracu e nelore, Guerra do Paraguai, ecoturismo, estação ecológica de Taiamã, chapéu carandá, construção da Transpantaneira e da Estrada Parque Pantanal, ocupação humana, pesquisas científicas etc.

O filme “Pantanais do Pantanal” tem 2 horas e 11 minutos de duração. Foi lançado no dia 30 de junho, no Instituto Moreira Salles, no Rio de Janeiro, e vai participar de festivais nacionais e internacionais de cinema. 

O trailer pode ser conferido abaixo: 

 


   
PUBLICIDADE
FB
PUBLICIDADE
Dinapoli
Contato
  • (67) 3291-3668
  • Formulário
  • Denúncia
  • www.diariodoestadoms.com.br
    Você está no melhor portal de notícias da região norte.