• Painel de Controle
Domingo, 20 de Agosto de 2017
Expediente      Anuncie      Assine

Coxim - Domingo

16ºMIN30ºMAX

Coxim - Segunda

10ºMIN24ºMAX

Coxim - Terça

14ºMIN27ºMAX

Coxim - Quarta

18ºMIN33ºMAX

Aluizio reforça apoio à Horta Caseira e garante Feira Livre
“Famílias que compreenderem a importância desse projeto terão um salto nutricional e de qualidade de vida”, destaca prefeito

Ana Flávia Dorsa              25/08/2015    09h51
foto: Ana Flávia Dorsa

Com o pré-lançamento da Horta Caseira anunciada na edição da semana passada, o prefeito Aluízio São José visitou a redação do Jornal Diário do Estado para acompanhar de perto cada passo do projeto que já está com as inscrições abertas, sendo distribuídas nas escolas, na comunidade e nas igrejas. O projeto que inicialmente era assinado pelo jornal Diário do Estado e DES (Desenvolvimento Educação e Saúde) ganhou diversos parceiros dentre eles a Prefeitura Municipal de Coxim. Com data para terminar, o projeto encerra em dezembro, mas a cidade ganha a Feira Livre e outros projetos que darão continuidade a esta iniciativa. 
O que este projeto vai repercutir na sua administração e na cidade de Coxim?
Tenho a satisfação de mais uma vez fazer uma parceria, de ser convidado pelo Jornal Diário do Estado e pelo DES para participar da Horta Caseira que tem por objetivo promover esforços para incentivar nossa comunidade a produzir para consumo local.  Há algum tempo tínhamos a vontade de fazer a Feira Livre e assim levássemos as várias regiões da cidade a exposição desses elementos. Faltava este estímulo para uma produção contínua e essa caminhada começando com o projeto da Horta é muito motivador. Esse projeto tem profundo caráter de responsabilidade social, de organizações e parceiros, de levar a crianças e jovens a potencialidade da produção na área de alimentos, além de gerar empregos e inclusão social, com as famílias tendo acesso aos produtos com preços melhores, na qualidade de orgânicos, trazendo saúde, envolvendo famílias, isso melhorará a vida das pessoas. No sentido urbano, vamos ter a ocupação de espaços livres, estimulando a agricultura familiar urbana, incentivando famílias a se dedicarem a produzir em hortas até no centro da cidade. A prefeitura é parceira no aspecto de colaborar no auxílio da limpeza dos terrenos, afinal esse projeto promoverá um grande processo de produção sustentável. 
Como está pensando em realizar essa feira?
A Feira terá um caráter itinerante, levando aos mais diversos bairros da nossa cidade esse momento de confraternizar com alimentos de qualidade, bem como outras produções como artesanato e outros agregados para que a comunidade possa apreciar e consumir. Assim, a economia vai girar em Coxim, deixando ou diminuindo o consumo de produtos externos, fazendo esses recursos ficarem na cidade. Começaremos com as hortas, depois teremos as Feiras Livres, que incentivará a maior compra de alimentos locais para merenda escolar, gerando renda para famílias que mais precisam. Se as famílias compreenderem a importância desse projeto terão um salto nutricional e de qualidade de vida.
Prefeito, o senhor já foi um simples cidadão, depois vereador e agora gestor da cidade. Um projeto com tantos parceiros, pessoas dando as mãos, tanta mobilização, é um anseio da administração? A prefeitura espera que haja essa união da comunidade nas causas municipais?
Quando vemos uma ideia nascendo e sendo sustentada, responsabilizando tantas pessoas, a chance de dar certo é muito grande. Nossa cidade e nosso Estado precisam de mais iniciativas como esta, que revelem o protagonismo social que existe dentro de muitas pessoas de bem que querem através do voluntariado poder dividir sua experiência de vida. Estamos felizes e honrados de participar dessa ideia que está contagiando a cidade, despertando nos jovens essa condição da possibilidade de produzir no quintal, nos espaços vagos, nos espaços urbanos. É uma atitude diferente que nos faz sair da zona de conforto e ter essa capacidade de realizar. O grande legado seria se alcançássemos a cidade toda, mas nos contentamos em mostrar exemplos para que outras pessoas possam ser contagiadas pelo mesmo espírito e terem essa condição. É como vemos nos assentamentos, muitos produtores possuem sua hortinha, seus animais, outros não o fazem, é uma questão cultural, que pode ser mudada.
Aproveitando que falou na criação de animais é possível a implantação do matadouro de animais conforme já foi discutido em outras oportunidades?
Quando se estuda a legislação local do sistema de inspeção municipal, quando se verifica sua aplicação na base onde está o produtor, percebemos que há um problema quanto ao comportamento das pessoas, pois algumas regras precisam ser assumidas. Alguns que já estão produzindo não entendem o porquê das exigências para conseguir a liberação da produção. É uma questão de formação, regularização e conquista dos produtores. Agora estamos no final do ano abrindo concursos para aí sim termos mais veterinários que possam junto à Prefeitura desenvolver esse papel de conscientização e assessoria. Estamos buscando recursos com os parlamentares federais para termos em Coxim um espaço dedicado a essa comunidade interessada em desenvolver a comercialização desses produtos de origem animal, mas dentro de uma condição organizacional, realizada por esses interessados em fazer as coisas certas. Uma cooperativa seria uma boa forma de começarmos isso e nós como prefeitura daríamos todo o apoio. Mas acredito que isto tem que partir daqueles que querem fazer a comercialização desses produtos, mas acho que este tema voltará com muita força a partir da Feira Livre, antigamente as feiras tinham essa capacidade de agregar esses produtos. 
Seria o projeto da horta a semente, a Feira a planta crescida e o matadouro os frutos?
Este espírito vai crescendo conforme os acontecimentos. Há possibilidades de isso tudo acontecer aqui em Coxim e ser um começo novo para a produção local, mas o mais emblemático será a mudança comportamental da produção dentro dos critérios de inspeção municipal. Não basta apenas termos o abatedouro, mas seguirmos todas as regras e conceitos e o caminho para isso será a cooperativa. A população precisa demonstrar a quantidade de pessoas disponíveis a este trabalho, mesmo diante de diversos assentamentos não vemos organização ou essa vocação atualmente, mas esperamos ter mais resultados a partir desse projeto.


   
PUBLICIDADE
FB
PUBLICIDADE
Dinapoli
Contato
  • (67) 3291-3668
  • Fromulário
  • Denúncia
  • www.diariodoestadoms.com.br
    Você está no melhor portal de notícias da região norte.