Suspeita de matar adolescente está grávida e até posou ao lado de corpo
Quinta-feira | 27 de Fevereiro de 2020  |    (67) 3291-3668  |    67 99983-4015 | 67 99996-1218  
 (67) 3291-3668  |    67 99983-4015 | 67 99996-1218  
Expediente  |  Anuncie  |  Assine  |  Contato
Sexta-feira | 24 de Janeiro de 2020    14h45

Suspeita de matar adolescente está grávida e até posou ao lado de corpo

O episódio foi revelado pelo garoto de 15 anos, suspeito de participação no crime. Ele prestou depoimento ontem (23) à polícia

Fonte: Campo Grande News
Foto: Jovem Sul News

Grávida de 24 semanas, Tayara Caroline Silva da Silva, 30 anos, suspeita de matar a golpes de machadadas, Ingrid Lopes Ribeiro, 13 anos, por ciúmes do ex-marido, ainda posou para foto ao lado do corpo da adolescente após o crime. O episódio foi revelado pelo garoto de 15 anos, suspeito de participação. Ele prestou depoimento ontem (23) à polícia acompanhado pelo pai. 

Conforme o delegado Felipe Machado Potter, responsável por investigar o caso, o celular de Tayara ainda não foi localizado para confirmar esse fato. O corpo da menina foi encontrado na noite de quarta-feira (22) enterrado na casa onde Tayara vivia, na Rua Perdizes, no Bairro Esplanada III, em Chapadão do Sul, distante 321 quilômetros de Campo Grande. Ingrid estava desaparecida havia 3 meses. A suspeita foi presa no mesmo dia numa casa na Rua Goiás. Indagada, confessou apenas que havia cedido a casa para ocultar o corpo.

Na delegacia, segundo o auto de prisão em flagrante de Tayara, o garoto contou que frequentava a casa da mulher desde junho do ano passado e já conhecia Ingrid da escola, apenas de vista. Ele passou a conversar mais com a adolescente quando ela fugiu da casa dos pais e foi procurar abrigo na casa de Tayara. Relatou ainda que os três fumavam maconha quando se encontravam. Tayara e Ingrid eram muito amigas, segundo Liandra Lopes Antunes, 18 anos, irmã da adolescente.

No dia do crime, segundo depoimento do garoto, Tayara mandou mensagem para a adolescente ir até o local buscar as suas roupas e seus documentos que haviam ficado na residência. Os três, então, fumaram maconha e durante a conversa a autora pediu que Ingrid desbloqueasse o seu celular. A intenção era saber se a vítima mantinha contato com o seu ex-marido.

Mais imagens
www.diariodoestadoms.com.br
© Copyright 2013-2020.