Suspeita batizada como 'viúva negra' em facção planejou sequestro e morte de mulher em MS
Sábado | 19 de Outubro de 2019  |    (67) 3291-3668  |    67 99983-4015 | 67 99996-1218  
 (67) 3291-3668  |    67 99983-4015 | 67 99996-1218  
Expediente  |  Anuncie  |  Assine  |  Contato
Quarta-feira | 09 de Outubro de 2019    09h40

Suspeita batizada como 'viúva negra' em facção planejou sequestro e morte de mulher em MS

Investigação diz que vítima tirada de casa na frente da mãe e ferida com ao menos 47 facadas. Suspeita está em cela no interior de SP e ainda não prestou depoimento.

Fonte: G1 MS
Foto: Divulgação

Uma suspeita de 23 anos, que alegou ser "batizada como viúva negra em uma facção criminosa", foi presa no interior de São Paulo pouco mais de um mês do assassinato de Érica Rodrigues Ribeiro, de 29 anos, em Três Lagoas, a 313 quilômetros de Campo Grande. A prisão dela ocorreu nessa terça-feira (8) após mandado de prisão temporária expedido pela Justiça do município.

Conforme a investigação, a vítima foi tirada de casa na frente da mãe e depois atingida por ao menos 47 facadas, sendo o corpo encontrado em uma região conhecida como "cascalheira". Os policiais civis do Grupo de Operações Especiais (GOE) passaram a fazer buscas e cinco pessoas foram presas, apontando o envolvendo de uma facção criminosa.

No entanto, a polícia informou que, até então, a mentora do crime ainda não havia sido identificada. Houve novas diligências e a investigação apontou que a suspeita estaria no município de Araçatuba (SP), no bairro Porto Real, onde mora o irmão dela. "Nós temos algumas motivações para o crime. A mulher ainda não foi ouvida e devemos diligenciar até Araçatuba esta semana para fazer o depoimento dela", afirmou ao G1 o delegado Ailton Freitas, responsável pelas investigações.

No imóvel, os policiais ainda apreenderam 79 pinos de cocaína, mais 19 pinos vazios, além de um caderno com anotações referente ao crime organizado e a quantia de R$300. Ao total, a investigação já apontou o envolvimento de seis pessoas, bem como apreendeu o carro usado para o sequestro de Erica. Eles respondem por homicídio qualificado, sequestro e cárcere privado, além de organização criminosa.

A polícia ainda ressalta que a suspeita terá o agravante de tráfico e associação ao tráfico de entorpecentes. O irmão dela também foi identificado, porém, não estava na casa no momento da prisão e continua sendo procurado.

www.diariodoestadoms.com.br
© Copyright 2013-2019.