Suspeito de 5 estupros fingia ser evangelizador para atrair crianças para terreno baldio
Quinta-feira | 19 de Setembro de 2019  |    (67) 3291-3668  |    67 99983-4015 | 67 99996-1218  
 (67) 3291-3668  |    67 99983-4015 | 67 99996-1218  
Expediente  |  Anuncie  |  Assine  |  Contato
Quinta-feira | 15 de Agosto de 2019    11h19

Suspeito de 5 estupros fingia ser evangelizador para atrair crianças para terreno baldio

Suspeito ainda é investigado por integrar rede de pedofilia, em Goiás. Ele foi preso na rua, após força-tarefa que cumpriu o mandado de prisão contra ele, na terça-feira (13).

Fonte: O Chapadense
Foto: Divulgação

Um jovem de 22 anos, suspeito de ao menos 5 estupros, foi preso após força-tarefa que envolveu as policias de Mato Grosso do Sul e Goiás. Ao G1 o delegado Mikail Faria, responsável pelas investigações, disse que Elerson Carlos Mareco Wider se passava por evangelizador de crianças, atraindo as vítimas na igreja e as levando para um terreno baldio, onde cometia os abusos sexuais.  “O primeiro registro se deu quando ele tinha 13 anos, mas, acreditamos que existem mais vítimas. Nós chegamos a interrogar, só que algumas ficaram quietas. Ele ganhava a confiança na igreja, ia na casa das pessoas, até o momento de levar para algum lugar, geralmente terreno baldio, onde as pedia para abaixarem as calças", ressaltou o delegado.

Com a prisão preventiva decretada, os policiais de Ponta Porã, Chapadão do Sul e Goiás iniciaram as buscas e o encontraram na rua, em Chapadão do Sul, a 333 km de Campo Grande. "Ele já estava sendo monitorado e sabia. Inclusive o suspeito estava tentando fugir, quando foi preso. Também há uma investigação, de que ele estaria integrando uma rede de pedofilia", explicou Faria.  

Conforme a polícia, o primeiro registro ocorreu em Chapadão do Sul, no ano de 2011. Na ocasião, a vítima foi uma criança. Dois anos depois, ainda segundo as investigações, ele teria abusado de um menino de 9 anos. O suspeito tinha 15 anos e estava andando de bicicleta, quando o adolescente o chamou para jogar videogame. Em seguida, ele teria trancado a vítima e cometido o abuso.

Na sequência, em 2013. Já em junho de 2014, o outro caso ocorreu na capital sul-mato-grossense. A investigação aponta que a mãe viu o adolescente saindo com a filha pequena, de 2 anos, de um terreno baldio. A mãe, do crime ocorrido no ano anterior, também reconheceu o suspeito.

Já em 2016, o outro registro ocorreu em Dourados, na região sul do estado. O menino de 3 anos inclusive era vizinho do suspeito e a tia dele flagrou o suspeito cometendo o crime, enquanto a vítima dormia no quarto. O último registro, ainda de acordo com a polícia, foi em dezembro de 2017. Na época, o homem já tinha 18 anos e a vítima, 8 anos. Em depoimento, o garoto inclusive comentou que "já tinha acontecido outras vezes, porém, ele tinha medo de falar por conta de ameaças". Elerson possui antecedentes por estupro de vulnerável, corrupção de menores, lesão corporal doloso e atentado violento ao pudor. 

www.diariodoestadoms.com.br
© Copyright 2013-2019.