• Painel de Controle
Segunda-feira, 12 de Novembro de 2018
Expediente      Anuncie      Assine

Coxim - Segunda

25ºMIN37ºMAX

Coxim - Terça

25ºMIN37ºMAX

Coxim - Quarta

25ºMIN34ºMAX

Coxim - Quinta

23ºMIN31ºMAX

Mato Grosso do Sul é 4º Estado com menor índice de miséria no Brasil
Apesar do aumento da pobreza junto à crise nacional, MS se manteve em boa posição

Top Mídia News              19/10/2018    16h00
foto: Divulgação

Levantamento sobre a escalada da miséria nas famílias brasileiras mostra que Mato Grosso do Sul é o 4º que menos sofre com a questão, entre os 26 Estados mais o Distrito Federal. O ranking é da consultoria Tendências, obtido pelo jornal Valor Econômico.

O Estado só fica atrás de Santa Catarina, Distrito Federal e Paraná. Em pior colocação, está a região norte e nordeste, com Maranhão, que há sete anos é o estado mais pobre; seguido por Acre, Bahia e Piauí.

A pesquisa considerou critério do Plano Brasil Sem Miséria, que considera extrema pobreza as famílias que têm renda mensal familiar por pessoa de até R$ 85. Em 2017, Mato Grosso do Sul, 2,6% da população estava dentro desse índice, contra 12,2% do pior colocado, Maranhão.

Reflexo da crise nacional, 25 unidades da federação tiveram piora da miséria entre 2014 e 2017. Na média nacional, a pobreza extrema avançou de 3,2% em 2014 para 4,8% em 2017, maior patamar em pelo menos sete anos.

Conforme a publicação, Bahia, Piauí e Sergipe quase dobraram o número de famílias vivendo na miséria. No Norte, o Acre piorou rapidamente.

Empregos em MS

Até julho de 2018, foram 142.991 contratações em Mato Grosso do Sul, resultando na criação de 7.858 novas vagas no mercado de trabalho. Somente em Campo Grande foram 56.070 contratações, com 2.161 novas vagas no mercado de trabalho.

Enquanto a renda caiu em 22 estados, Mato Grosso do Sul teve alta de 8% nos salários - o maior crescimento de todo o País. A renda saltou de R$ 968 para R$ 1.046, nos últimos quatro anos, de acordo com o levantamento da LCA Consultores, feito a pedido da Globo News, usando dados da PNAD Continua.


   
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Contato
  • (67) 3291-3668
  • Formulário
  • Denúncia
  • www.diariodoestadoms.com.br
    Você está no melhor portal de notícias da região norte.